Diferentes tipos de rugas e os melhores tratamentos

O aparecimento de rugas é queixa constante aqui na Horaios Estética. Seja na região dos olhos, lábios, pescoço ou colo, é cada vez mais comum a procura por produtos e tratamentos pra firmar a pele e amenizar os vincos profundos causados por elas.

O que pouca gente sabe, entretanto, é que existem diferentes tipos de rugas e cada uma delas deve ser prevenida e tratada de uma forma diferente. Veja abaixo as quatro categorias de rugas e identifique já a sua.

Rugas de expressão: são sinais formados por que faz muitos movimentos faciais para se comunicar e expressar suas emoções. Elas aparecem independentemente da idade e se localizam principalmente na testa, entre as sobrancelhas e ao redor dos olhos.

Rugas finas: consideradas pelos dermatologistas como pregas de nível 1, elas aparecem principalmente pela perda de colágeno natural conforme a idade vai avançando. São mais frequentes em peles claras e aparecer normalmente a partir dos 30 anos.

Rugas profundas: aparecem a partir dos 45 anos, através do envelhecimento intrínseco (geneticamente natural) e extrínseco (fatores externos, como stress, má alimentação, excesso de sol, tabagismo e álcool). A perda de colágeno é significativa nessa fase, afinando a derme e causando os indesejados vincos.

Saiba mais: Proteína asiática preço

Rugas gravitacionais: causadas principalmente pela redução das fibras colágenas e elásticas em comunhão com a flacidez de outros músculos do corpo, criando sobras de pele, inclusive na região do pescoço, mandíbula e colo. São comuns a partir dos 60 anos, mas podem aparecer de forma precoce em pessoas fumantes ou que passam horas em contato direto com o sol.

Cremes e tratamento estéticos para tratar suas rugas

Rugas finas, aquelas consideradas “nível 1” podem ser tratadas primeiramente com cremes à base de ácidos retinóico, glicólico,mandélico, alfa hidroxiácidos, hialurônico, DMAE, raffermine e tensine. Agora, se as suas rugas forem mais proeminentes, a Horaios Estética tem uma infinidade de tratamentos que podem amenizar os vincos e dar mais firmeza e viço à sua pele. Dá uma olhada nas opções:

– Fotona 4D: A técnica promove um tratamento intenso da face, combinando dois tipos de lasers, o ND Yag e o Erbium Yag. Juntas, essas tecnologias atuam na flacidez produto, no relevo, na textura e no contorno facial.

– Toxina botulínica: apesar de não ser um preenchedor facial, o botox é uma boa opção para quem precisa diminuir a aparência das rugas a curto prazo, uma vez que promove a paralisação muscular. É recomendada para mulheres a partir dos 30 anos.

-Radiofrequência multibipolar: estimula a produção de colágeno, resultando em uma pele mais firme em pouco tempo.

– Skinbooster: aplicação de ácido hialurônico através de agulhas bem fininhas, com a intenção de preencher as rugas e rejuvenescer a aparência do rosto.

– Fios de sustentação facial: a aplicação de fios de ácido poliláticos são indicadas para pessoas com flacidez de nível inicial ou intermediário ou para quem precisa estimular a produção de colágeno e diminuir a flacidez causadora de rugas.

– Subincisão: indicada para quem sofre com rugas em grau avançado. A cirurgia rompe os septos fibrosos – divisões fibrosas entre os compartimentos de gordura, que puxam a superfície da pele para baixo e geram as rugas e vincos profundos.

– Lifting sem cirurgia: conhecido como “Sutura Silhouette”, o lifting sem cirurgia é indicado para quem sofre com flacidez facial e corporal em grau leve a moderado e pode ser realizado a partir dos 30 anos, idade em que a produção natural de colágeno começa a diminuir.

Todos esses tratamentos serão oferecidos pela Horaios Estética. Entre em contato e agende sua visita para que, em parceria com o nosso time de especialistas, você escolha o procedimento mais indicado pra você.

Trate os pés ressecados com remédios caseiros e esfoliantes naturais

Diferentemente do que acontece no resto do corpo, a pele dos nossos pés é naturalmente seca. Isso acontece porque ali não possuímos glândulas que produzem oleosidade e, por esse motivo, há centenas de milhares de glândulas sudoríparas para manter os pés hidratados. Como sempre tentamos evitar que o nosso pé fique suado, é comum que fiquemos com os pés ressecados.

pés-ressecados
Manter os pés sempre hidratados é a melhor prevenção para evitar o ressecamento. Foto: iStock, Getty Images

Hidratação previne os pés ressecados
Condições médicas como diabetes ou pé de atleta também podem contribuir para os pés ressecados. Seja qual for a origem, manter o pé hidratado regularmente é fundamental para que essa situação não se agrave.

A intensidade do ressecamento nos pés pode variar bastante e, em alguns casos, pode se converter em rachaduras ou até em infecção. Antes de tudo, deve-se evitar coçar ou esfregar esses locais. Para suavizar a pele e dar adeus aos pés rachados, há uma série de métodos naturais que você pode tentar na sua própria casa. Conheça alguns deles:

Leia também: pés ressecados

Acabe com os pés ressecados com receitas caseiras
1. Esfoliar com açúcar

Para acabar com os pés ressecados, combine partes iguais de azeite e açúcar mascavo,fazendo um esfoliante caseiro. Use as mãos para esfregar a mistura em todo o pé, focando seus esforços principalmente nos calcanhares e quaisquer outros lugares que estão mais ressecados.

Massageie os pés vigorosamente por aproximadamente 10 a 15 minutos e depois lave a mistura completamente com água fria. Depois é só secar os pés completamente e partir para o próximo passo.

2. Hidratar com mel

Esfoliar os seus pés é o primeiro passo para suavizar a pele, pois assim fica mais fácil para ela absorver as substâncias do mel. Para esta segunda etapa, adicione uma xícara de mel para um litro de água morna e mergulhe os pés por 10 a 15 minutos.

Se os seus pés estão extremamente secos, você pode aguardar ainda mais tempo. As enzimas naturais do mel podem ajudar a acelerar a cura e devolver a umidade de sua pele. Além disso, este banho para pés ressecados irá melhorar a circulação. Uma das causas da pele mais seca nos pés é justamente a má circulação.

3. Proteger com vaselina

A vaselina é um ótimo hidratante. Aqui, ela será usada para garantir uma melhora na textura dos pés ressecados. Aplique uma camada generosa de vaselina em seus pés, massageando bem entre os dedos e sobretudo nos calcanhares e na parte de cima dos pés.

A vaselina hidrata os e sela a umidade dentro da pele, promovendo, assim, a cicatrização no caso de haver alguma rachadura. Você pode colocar um par de meias para que não esorregue ao caminhar. Faça isso antes de ir para a cama e pela manhã. Para potencializar o efeito, aplique o seu hidratante tradicional.

Conheça os 5 principais elementos que definem uma pele saudável

Um estilo de vida saudável e um cuidado correto podem melhorar e prolongar a saúde da sua pele, além de resultar em uma aparência luminosa. Para isso, existem os ingredientes naturais para cuidar e hidratar a pele para que ela fique sempre bonita e saudável.

Elementos presentes em uma pele saudável
O segredo? São estes cinco elementos vitais: vitamina, proteína, antioxidante, lipídio e enzima. Saiba mais sobre cada um a seguir.

Lipídio: É uma molécula orgânica hidrofóbica. Ele cria uma barreira protetora, reduzindo a perda de água transepidermal mantendo a pele hidratada e prevenindo o ressecamento.

Antioxidante: Combate os radicais livres prevenindo a degradação de colágeno e elastina. Por isso, ajuda a proteger a pele dos danos causados por fatores externos como a poluição e a exposição ao sol em excesso.

Proteína: Têm propriedade de retenção de água e reforçam a barreira protetora da pele. Assim, é um componente-chave para uma pele saudável.

Leia também: Dicas para pele saudável

Vitamina: Elementos como as vitaminas E, B6, B3 e B1 fazem parte de uma pele saudável. A vitamina E tem ação antioxidante e papel fundamental em processos anti-inflamatórios. Já a vitamina B6 auxilia no metabolismo de proteínas e gorduras; a vitamina B3 ajuda a manter a saúde da pele, da boca e dos olhos; e a vitamina B1 é essencial para o suprimento energético celular.

Enzima: importante para a esfoliação da pele, além de potencializar os resultados.

Como obter esses ingredientes?
AVEENO® tem uma linha completa de sabonetes líquidos e hidratantes que contam a tecnologia ACTIVE NATURALS® que preserva os cinco elementos vitais para uma pele saudável. Todos os produtos são formulados com a aveia coloidal – esta aveia finamente moída é proveniente de um processo de moagem especial que assegura elevados padrões de qualidade. Esse processo garante que os efeitos hidratante e calmante da aveia sejam preservados, tornando o produto ideal para o alívio da pele seca, extrasseca e delicada.

Problemas de pele na gravidez

Conheça os problemas de pele mais comuns na gravidez

Durante a gestação, o corpo da mulher sofre mudanças fisiológicas importantes, que vão desde alterações metabólicas e hormonais até vasculares, todos com tendência a desaparecer após o parto. Em conteúdo divulgado no Simpósio RADLA, maior evento de Dermatologia da América Latina, a dermatologista Dra. Ediléia Bagatin afirma que essas mudanças acontecem por uma série de fatores. Um deles é o crescimento da atividade de glândulas como hipófise, tireoide e adrenais, ocasionando a ampliação dos níveis de cortisona.

Leia também: Problemas de pele como tratar

Além disso, durante a gravidez, há um aumento expressivo na produção de proteínas e hormônios como a progesterona e estrogênio. Juntas, todas essas mudanças podem impactar de maneira negativa a vida da gestante, ocasionando queda de cabelos, piora da acne, surgimento de melasmas, etc.

Pelos, unhas e cabelos

Enquanto algumas mulheres vibram porque os cabelos ficam mais volumosos e brilhantes durante a gestação, outra grande parcela percebe uma redução significativa dos fios devido à queda. “A gravidez acarreta uma perda de moderada a intensa nos primeiros cinco meses de gestação. Mas o quadro se reverte rapidamente no pós-parto e tem excelente prognóstico”, afirma a dermatologista.

No caso dos pelos, a quantidade pode aumentar, especialmente no início da gestação. Pernas, buço, sobrancelha, axilas, virilha: as grávidas conseguem perceber facilmente a multiplicação dos pelos nessas regiões. Isso acontece graças ao crescimento na produção de hormônios andrógenos (masculinos) pelo ovário.

Já as unhas, que tendem a crescer mais durante este período, também podem sofrer alterações como desprendimentos, surgimento de manchas brancas e até ressecamento. “Por isso, deve-se evitar o uso de cosméticos para as unhas, que podem causar mais danos”, finaliza a Dra. Ediléia.

Melasmas

Manchas escuras na pele, conhecidas como melasmas, costumam aparecer (ou piorar) em mulheres grávidas, especialmente no rosto. O melasma costuma surgir na segunda metade da gravidez e pode atingir até 75% das mulheres. Este problema de pele tende a regredir espontaneamente até um ano após o parto.

Sua causa é desconhecida, mas é determinada por predisposição genética e relacionada diretamente à exposição solar. A dermatologista Dra. Juliana Nakano explica que a melhor forma de prevenir o surgimento do melasma é usar filtro solar diariamente. “Lembrando que o filtro precisa ser utilizado não somente para o sol, mas em qualquer situação de calor, mormaço ou lâmpadas muito quentes. Outra orientação é que as grávidas reapliquem o filtro, já que passando o produto somente pela manhã não é suficiente”, lembra.

Aumento da acne

O médico dermatologista Dr. Marco Rocha lembra que cerca de 20% das mulheres adultas têm acne e que as alterações fisiológicas que ocorrem na gestação podem agravar ainda mais o aparecimento destas lesões na pele. “Um estudo francês demonstrou que mais de 50% das pacientes com acne na gestação apresentavam o subtipo persistente da doença (aquele presente desde a adolescência) e que em cerca de 60% delas a acne piorou na gravidez”, enumera o especialista também em apresentação para o RADLA.

Assim como em fases anteriores da vida, a acne durante a gravidez surge principalmente na face, pescoço e tronco – regiões com maior incidência das glândulas sebáceas. Para tratar a acne durante a gravidez, a recomendação é não usar substâncias como antibióticos, por exemplo, devido ao aumento de resistência bacteriana.

Cremes ou peelings químicos à base de ácido retinóico também devem ser evitados no decorrer da gestação. “A conduta ideal da acne na gestação é o início precoce do tratamento e a avaliação, juntamente com o obstetra, da necessidade do uso de medicações sistêmicas em casos selecionados”, completa o dermatologista. Para ajudar com a acne na gravidez, a dica é lavar a pele com sabão neutro, usar hidratante com textura não oleosa e, de preferência, que já tenha proteção solar, além de evitar ao máximo o uso de maquiagem.

Quais tratamentos combatem e acabam com a flacidez?

Leia também: Flacidez causas

Você fecha a boca, faz uma reeducação alimentar, consegue emagrecer e… Fica com a pele flácida. Nem sempre a academia resolve e acaba com a flacidez depois de uma dieta. Ela é resultado da falta de colágeno e elastina da pele que deixam seu corpo sem tonicidade. Ou seja, ele fica todo molengo e pouco definido, mas isso não quer dizer que a dieta deu errado. Quando a pele fica mais flácida, devemos levar em conta a idade, o cardápio que estamos fazendo, o excesso de exposição ao sol, a genética e outros fatores que contribuem para a falta de firmeza na pele.

A flacidez atinge a região abdominal, o bumbum, as pernas, o rosto e o pescoço, principalmente. E mesmo quem faz exercícios físicos pode apresentar um grau de flacidez, se a questão é genética. Tudo isso é importante na hora de conversar com um médico dermatologista para saber qual o procedimento mais indicado para o seu caso. Sim, é preciso tratar a situação e resolver o problema. Afinal, quem não quer ter um corpo durinho, firme e com a pele toda tonificada? Mas esse processo todo não é fácil e exige persistência na hora de escolher e realizar o tratamento mais adequado.

Quais tratamentos combatem e acabam com a flacidez?
Quais tratamentos combatem e acabam com a flacidez?
Uma vez a única saída para a flacidez era a cirurgia plástica. Hoje, graças ao avanço da medicina, existem aparelhos que ajudam na eficácia de poderosos tratamentos contra a flacidez. A primeira dica é cuidar da alimentação. Existem ingredientes ricos em colágeno que fortalecem o cardápio e ajudam a turbinar a pele, como a gelatina, clara de ovo e as próprias balas de colágeno, vendidas em farmácias de manipulação. Para adaptar esses alimentos a sua dieta, procure um nutricionista. Depois, a dica é mesmo seguir para a academia e tentar fazer exercícios que tonificam a pele.

Junto com a alimentação e a academia, você deve investir em tratamentos estéticos desenvolvidos pela medicina para combater a flacidez. Um dos mais vantajosos é o aparelho de radiofrequência, que emite ondas eletromagnéticas na área de aplicação e faz um aquecimento no local, promovendo o estímulo da produção de colágeno. A temperatura pode chegar até os 42 graus e deve ser feito por fisioterapeutas ou médicos, que controlam o calor. Não é recomendado mais de 10 aplicações na mesma região por ano, porque isso pode, sim, queimar uma camada da pele, piorando a situação. Esse calor aumenta a circulação sanguínea, que ajuda a amenizar a flacidez e combater o problema.

Há também o tratamento feito com laser Infravermelho, que consegue alcançar uma camada profunda da pele e estimula o aumento da produção de colágeno na pele, ajudando a firmar as camadas e, por consequência, deixando a região com mais elasticidade. Pode ser aplicada por um esteticista que tenha o curso ou um fisioterapeuta.

Na mesma linha está o ultrassom, que dispara ondas ultrassônicas e causam uma certa fisgada interna na pele. São mais de 10 mil disparos que ajudam a estimular o colágeno da pele nas camadas mais profundas. O tratamento leva cerca de 10 semanas para dar resultado e ajuda a amenizar o visual da pele, principalmente do bumbum e do rosto.

Descubra como acabar de vez com as olheiras

Má circulação do sangue e herança genética são as causas das incômodas manchas escuras embaixo dos olhos

Tratamentos estéticos e cremes podem amenizar o problema, mas não curar.

Nem só o cansaço, falta de sono e momentos intensos de choro podem causar as olheiras. Este problema que tanto incomoda as mulheres (e também os homens) vai muito além e pode ser causado pela má circulação sanguínea, herança genética e até mesmo ocasionado pelo acúmulo de melanina na região da derme – uma das camadas da pele.

Segundo a dermatologista Vanessa Zagne, não há uma cura definitiva para as olheiras mas, sim, soluções para amenizar seu aspecto escuro. Tratamentos com laser e aplicações com ácidos estão entre os procedimentos mais procurados para clarear a região abaixo dos olhos.

Outra opção, menos agressiva, é o uso de cremes especializados, indicados sempre por dermatologistas. Para quem não quer ou não pode fazer o nenhum destes tratamentos, a recomendação é apostar nos truques da boa e velha maquiagem. Uma leve camada de corretivo ou base já camufla facilmente as olheiras: basta saber o tom ideal e aplicar da forma correta.

Leia também: Tratamento para olheira

Principais causas
É comum que alergias como sinusite e rinite provoquem coceiras nos olhos e, por conta disso, o esfrega-esfrega em excesso pode causar a dilatação dos vasos sanguíneos. Esta é uma das principais causas do aparecimento das olheiras, especialmente aquelas que deixam o local arroxeado.

A dilatação destes pequenos vasos sanguíneos também acontece quando a mulher está próxima a menstruar ou grávida. Fatores externos como consumo excessivo de bebidas alcoólicas e tabaco podem agravar o problema, deixando a pele abaixo dos olhos cada vez mais escuro e, consequentemente, mais difícil de tratar.

O formato dos olhos e o avanço da idade também podem causar o aparecimento de olheiras, mesmo para quem não nasceu com elas. “Com o envelhecimento, a pele fica mais flácida e fina, podendo aparecer também bolsinhas de gordura”, explica a dermatologista.

Tipos de olheiras
Engana-se quem acha que só existe um tipo de olheiras: elas podem ser mais leves ou intensas e, os tratamentos adequados, dependem da tonalidade do escurecimento desta região do rosto.

A especialista explica que, de maneira geral, as olheiras em tons de marrom são causadas devido ao depósito de melanina – pigmento que dá cor à pele. Já aquelas em cor mais arroxeada e azulada são provocadas do cansaço, estresse, poucas horas de sono e a já citada dilatação dos vasos sanguíneos.

Disfarce as olheiras com a maquiagem
O corretivo colorido é ideal para camuflar as olheiras. Se as olheiras não forem muito escuras, uma boa base com um corretivo de cor natural, já consegue garantir um efeito neutro. Se forem mais marcadas, a dica é manter o make sempre à mão e conversar com um dermatologista para analisar os eventuais tratamentos possíveis.

Os produtos de cor laranja e amarelo camuflam as manchas escuras e devem ser aplicados depois do primer, com leves batidinhas com os dedos. Os corretivos em tom de laranja são indicados para pele morena à negra: por ser mais pigmentado, ele consegue escolher melhor as olheiras roxo-acinzentadas. Os produtos em cor amarela são bastante usados para olheiras mais roxas e têm bom efeito em tons de pele que vai de clara à média.

Para cobrir completamente as olheiras, após a aplicação do corretivo,, é importante finalizar a maquiagem normalmente, aplicando a base e um corretivo de um tom abaixo àquele da pele, por cima do colorido. Sempre com batidinhas para não retirar o produto.

Receitas caseiras
Quem nunca ouviu falar de receitas que podem ser feitas em casa para combater as olheiras? Compressas com chá de camomila, erva-doce, chá verde, água de coco e leite podem amenizar estas manchas escuras abaixo dos olhos. Para potencializar os resultados, estas compressas devem estar geladas e, ao esquentar, devem ser reaplicados em temperatura mais fria.

Uma alimentação saudável no dia a dia pode ajudar a prevenir e combater as olheiras. Nutrientes como Ômega 3, por exemplo, evitam o processo de dilatação dos vasos sanguíneos e podem ser encontrados em peixes como atum e salmão. As vitaminas E, C e K também evitam as bolsas inchadas abaixo dos olhos, clareiam as olheiras e melhoram a circulação sanguínea, respectivamente.

Hoje, também é possível encontrar cremes conhecidos como medicamentos tópicos domiciliares que contém substâncias que ajudam no combate às olheiras. Entre eles, produtos à base de cafeína, vitamina K, vitamina C, os ácidos tioglicólico e kójico. Mas antes de usar, a dermatologista Vanessa Zagne faz um alerta: “o ideal é combinar este medicamento com procedimentos no consultório médico e procurar dermatologistas especializados nesse tipo de problema”.

Tratamentos mais intensos
Abaixo, conheça três tratamentos que devem ser realizados com a ajuda de um profissional da área e que possuem uma ação mais eficaz no combate às tão temidas olheiras:

Peeling químico: são aplicações de ácidos, que amenizam as manchas escuras por induzir a produção de colágeno – proteína que deixa o músculo mais firme.

Ácido hialurônico: muito utilizado por dermatologistas e cirurgiões plásticos para o tratamento das rugas, o preenchimento facial, é também um bom aliado para acabar com os olhos fundos. Melhora o aspecto deprimido da região da pálpebra inferior e de olhos fundos, diminuindo a sombra e desta forma a área fica mais iluminada.

Laser: como o tratamento não é definitivo, o ideal é fazer de 4 a 5 sessões ao ano. Existem diversos tipos de laser e sua escolha vai depender das características da olheira, se leve ou intensa. Ele emite um pulso de energia ultra-rápido causando uma onda de choque que quebra o pigmento.

Colágeno é conhecido como suplemento embelezador, mas será que funciona mesmo?

O colágeno é a proteína mais abundante no reino animal, incluindo o corpo humano. Devido à sua importância para a manutenção da saúde, há muitos cremes e suplementos de colágeno em pó que prometem fazer bem para a saúde. Mas será que esse tipo de colágeno faz bem mesmo? Para entender melhor esse tema, o que é colágeno, para que serve o colágeno, quais alimentos são ricos em colágeno, quais os benefícios do colágeno e como tomar colágeno, continue a leitura:

Para que serve o colágeno
Existem mais de 16 tipos de colágeno, mas 80 a 90% do colágeno presente no corpo é composto pelos tipos I, II e III. O colágeno do tipo I está presente na pele, nos tendões, ossos, ligamentos, dentes e tecidos intersticiais. O colágeno do tipo II está presente na cartilagem e no humor vítreo (parte importante do olho). O colágeno do tipo III está presente na pele, nos músculos e nos vasos sanguíneos. Estes são apenas três dos 16 tipos de colágeno e por aí você já pode ter uma ideia de para que ele serve: nos manter vivos!

Em resumo, o colágeno está presente no corpo inteiro e é uma proteína essencial para a manutenção da vida. Entretanto, a maior fama do colágeno é em relação à beleza, uma vez que ele ajuda a manter a elasticidade da pele, fortalecimento de unhas e cabelos.

Como obter colágeno
Para obter colágeno não é necessário ingerir suplementos de colágeno em pó nem cremes à base de colágeno, pois ele se forma naturalmente no corpo por meio da alimentação adequada.

Alimentos que estimulam a produção de colágeno

Todo colágeno é produzido a partir da combinação de dois aminoácidos: a glicina e a prolina. Mas para essa produção acontecer o organismo também precisa de vitamina C. Então a chave da questão para produzir colágeno naturalmente é consumir alimentos ricos nessas substâncias.

Leia também: Skin renov funciona

Para obter a vitamina C, você pode consumir frutas cítricas como limão, laranja, kiwi, pimentão, morango, entre outras.

Leia também: Fascia preço

Para obter a prolina, é importante consumir alimentos como feijão, ervilha, cogumelos, alho, cebola roxa, beterraba, berinjela, cenoura, castanha-de-caju, castanha-do-pará, amêndoas, amendoim, nozes, repolho, avelã, entre outras.

A glicina é muito presente em alimentos como lentilha, grão de bico, amaranto, arroz integral, quinoa, couve, brócolis, soja, sementes de abóbora, algas marinhas, entre outros.

Alimentos que prejudicam a produção de colágeno

Para manter uma boa produção de colágeno, não basta consumir alimentos saudáveis. É preciso evitar o consumo de alimentos e outras substâncias nocivas à saúde do organismo como as drogas, incluindo excesso de medicamentos, álcool, cigarros, entre outras.

Dentre os alimentos que prejudicam a produção natural de colágeno estão, principalmente, o açúcar e os carboidratos refinados como arroz branco, bolos, tortas, pizza, carnes processadas e alimentos fast-food. Conheça alternativas naturais para substituir açúcar e adoçante.

O excesso de sol na pele também evita a produção de colágeno. Então é bom evitar tomar muito sol. Mas não se esqueça, um pouquinho é sempre bom (por causa da produção de vitamina D).

Alguns distúrbios autoimunes, como o lúpus, também podem danificar o colágeno.

Colágeno hidrolisado

O colágeno hidrolisado é um suplemento de colágeno encontrado em pó ou em cápsula. Ele é feito a partir de restos de ossos e cartilagem bovina.

Com um estilo de vida saudável, livre de cigarros, álcool em excesso e outras substâncias nocivas ao organismo, é possível produzir colágeno naturalmente. Entretanto, algumas pessoas optam por consumir suplemento de colágeno.

A questão é que ingerir colágeno em pó como forma de obter seus benefícios é controverso, já que quando nos alimentamos de proteína (como é o caso do colágeno) ela é quebrada em aminoácidos que serão metabolizados, descaracterizando assim o colágeno propriamente dito.

Por outro lado, há estudos que afirmam que o consumo de suplemento de colágeno apresenta benefícios como:

Aumento da massa muscular: um estudo de 2015 feito com homens idosos mostrou que uma combinação de suplementos de peptídeos de colágeno e treinamento de força aumentou mais a massa muscular e força do que um teste placebo.
Artrite: Outro estudo mostrou que pessoas com osteoartrite que consumiram suplemento de colágeno apresentaram um declínio significativo na dor durante um período de 70 dias, em comparação com aqueles que tomaram um suplemento placebo.
Elasticidade da pele: mulheres que ingeriram suplemento de colágeno mostraram melhorias na elasticidade da pele.
O colágeno de cremes, por outro lado, tem se mostrado ineficaz. Cientistas afirmam que o creme de colágeno não funciona, pois as moléculas das fórmulas são tão grandes que não podem penetrar na pele.

Colágeno faz mal?
Até o momento não se sabe se o consumo de suplemento de colágeno faz mal. Entretanto, ele pode causar efeitos colaterais, como sensações de peso, azia e reações alérgicas.

Aloe succotrina e Aloe vera são uma das centenas de espécies de plantas conhecidas popularmente como babosa, atualmente a mais amplamente utilizada em produtos de consumo, tanto para uso externo como interno, por causa de suas reconhecidas propriedades benéficas.

O uso desta planta é de longa tradição em várias partes do mundo, dado os seus muitos benefícios observados ao longo dos anos, inicialmente confirmados apenas pela experiência, mas hoje também por uma gama de pesquisas científicas.

Tanto o gel (para uso externo) que o sumo (para uso interno) são utilizados de suas folhas e a planta pode ser facilmente cultivada em casa. O gel é particularmente eficaz no tratamento tópico de queimaduras, escoriações, psoríase e outras doenças da pele, enquanto o suco é utilizado principalmente como imunomodulador, desintoxicante e para problemas gastrointestinais.

Ao longo do tempo tornou-se claro que a aloína, um princípio ativo naturalmente presente na planta, especialmente quando consumida com frequência, pode irritar a mucosa intestinal com um efeito laxante sério. Por isso que todos (ou a maioria) dos produtos à base de aloe, atualmente existentes no mercado para o uso interno, devem ser submetidos a tratamentos para a retirada desta substância.

Benefícios
O gel para uso tópico, pode ser colocado sobre a pele tendo sido retirado diretamente da planta (usando uma faca afiada, de preferência flexível, se retira a casca da folha e toda a sua parte amarela presente logo abaixo da casca, para colher a sua parte interna, que é a parte “babosa”, o gel da planta).

Seu uso é muito versátil e pode ser útil em várias situações.

Aplicações do gel da aloe vera
Antirrugas natural (o gel é incrivelmente hidratante e pode ser colocado diretamente sobre as peles do rosto e pescoço, deixando-o agir até secar ou pelo tempo que quiser. Eu pessoalmente coloco e me esqueço, até o coloco antes de dormir). O gel é tão impressionantemente eficaz, que dizem que a babosa era o segredo de beleza utilizado por Cleópatra no antigo Egito.

Caspa: coloque o gel sobre o couro cabeludo, massagenado-o antes de lavá-lo normalmente.

Queimadura solar: por seu efeito hidratante, depois de exagerar no sol, o melhor remédio é o gel da babosa, refrescante e hidratante.

Pelos mesmos motivos, o gel pode ser aplicado em outros tipos de queimaduras.

Para a pele seca do frio: das mãos, do rosto, das pernas, braços etc.

Como hidratante natural para o corpo (além do rosto).

Para cuidar dos cabelos independentemente da caspa.

Para aliviar a irritação cutânea, depois da depilação com cera ou lâminas.

Para aliviar manchas na pele causadas pelo sol, faça máscaras com frequência, usando o gel da babosa.

Para uma cicatrização mais rápida e para evitar marcas de cicatrizes.

Para picada de insetos, para as de pernilongos o alívio na coceira é imediato.

Para dores musculares por suas propriedades antiinflamatórias e calmantes.

Pelos mesmos princípios o gel pode ser aplicado em gengivas inflamadas e em outras inflamações internas na boca também para cicatrizar espinhas e acnes do rosto.

Para dor de cabeça, prove usar o gel de aloe vera com uma gotinhas de óleo essencial de menta aplicando-o às temporas e à nuca, com movimentos circulares.

Aplicações do suco da aloe vera
Vamos ver o que acontece se você tomar suco de aloe vera e para quais situações é geralmente indicado. Antes, porém, vamos deixar claro o que esta planta contém de tão valioso, de modo a torná-la especial e apreciada em todo o mundo. Um dos seus ingredientes ativos mais interessantes é o acemanano, um mucopolissacárido natural que demonstrou haver efeito protetor das mucosas gástrica e intestinal.

Trato gastrointestinal
Em um estudo interessante, realizado no Reino Unido em 2004, os pesquisadores deram a um grupo de pessoas com colite ulcerativa, um tipo de doença inflamatória do intestino, o sumo de aloe vera para beber duas vezes por dia. Depois de apenas quatro semanas houve melhoras da doença nos participantes que beberam o suco de babosa, em comparação com o grupo de controle que tinha tomado apenas água pura.

Leia também: benefícios da Babosa

Graças às suas propriedades antiinflamatórias, principalmente devido aos mucopolissacarídeos contidos na planta, a aloe também é usada para problemas muito comuns, tais como colite, gastrite e outros tipos de inflamação. Mas, como acima especificado, para tal, o produto usado deve ser estritamente sem aloína, pois, ao contrário pode causar agravamento dos sintomas. Portanto, consulte sempre um médico e nunca se automedique.

Sistema imunológico
E foi demonstrado também que o acemanano tem propriedades imunoestimulantes, pois estimula a atividade dos macrófagos, protegendo o corpo contra vírus e bactérias. Esta é uma das principais razões pelas quais se bebe o suco de babosa, para estimular as defesas naturais do organismo nos períodos em que elas mais são requeridas: outono, inverno ou durante períodos estressantes de provas físicas e mentais.

Propriedades antibacterianas e antivirais
Algumas pesquisas mostraram que extratos de aloe são capazes de agir contra alguns tipos de bactérias, vírus ou fungos, incluindo Escherichia coli e a Candida albicans. A assunção do suco, portanto, pode ajudar em casos onde há infecções deste tipo ajudando o sistema imunológico, mas também agindo especificamente.

Propriedades antioxidante e desintoxicante
A planta que contém 12 vitaminas, 15 enzimas, 18 aminoacidos, 20 minerais, 75 nutrientes e mais de 150 princípios ativos, também é considerada excelente por suas ações desintoxicante e antioxidante, capazes de combater os radicais livres que contribuem para o envelhecimento das células do nosso corpo.

É por isso que ao tomar suco de aloe com frequência, se começa a notar as melhoria na pele, cabelo e unhas.

A lista é, certamente, não exaustiva. São muitas as substâncias que fazem desta planta um tesouro ainda a ser descoberto. Recentemente, entre outras coisas, a investigação científica se concentrando, em particular, sobre o seu potencial anticâncer, mas, neste caso, parecem ser mais eficaz a espécie Aloe arborescens, uma variante da aloe.

Leia mais: BABOSA: O QUE ACONTECE AO CORPO SE BEBER UM COPO DE ALOE VERA POR DIA?

Contraindicações
Como todas as plantas, até mesmo a aloe não está isenta de possíveis efeitos colaterais encontrados com mais freqüência principalmente no trato gastrointestinal, como cólicas e diarréia. Neste caso, você deve ouvir o seu corpo e parar o tratamento imediatamente. Se você estiver tomando medicação, é sempre melhor falar com o seu médico antes de começar a beber o suco da babosa.

O suco não deve ser consumido por mulheres grávidas (não existem estudos que indiquem a sua segurança) e durante a lactação (pode deixar o leite amargo e não muito agradável para o bebê).

Muito importante se você tomar o suco de aloe é respeitar as doses indicadas na embalagem do produto e não pensar que só porque ele é um remédio natural, você pode usá-lo indiscriminadamente. Como tudo o que é assumido para terapêutica ou preventivamente é sempre bom seguir um ciclo que pode ser de um mês a três meses, e depois parar.

O gel, contudo, não mostrou quaisquer efeitos secundários e pode ser utilizado por todos, muito bom inclusive para as crianças. Só há problemas, é claro, no caso de sofrer de alergia à planta, o que também é geralmente muito raro.

Dermatologista esclarece que o tratamento deve ser combinado a outros procedimentos, como o ultrassom de alta frequência ou a drenagem linfática

Leia também: comprar Creme firmador

Creme para celulite funciona? Confira as dicas do especialista para potencializar o seu resultado!

A celulite é um dos maiores pesadelos femininos. Por isso, muitas mulheres usam e abusam de tratamentos estéticos e cosméticos disponíveis no mercado, além de investirem na malhação, na tentativa de eliminar os furinhos indesejados. Para quem não tem muito tempo, vale usar e abusar dos cremes para celulite. Mas será que eles realmente funcionam?

Leia também: Skin renov Anvisa

A equipe d’A Revista da Mulher conversou com um expert no assunto, o Dr. Daniel Dziabas, dermatologista e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Segundo ele, de fato, existem produtos que atuam favorecendo a quebra de gordura e a circulação linfática e sanguínea. Porém, o ideal é combiná-los com outros tratamentos.

Um aliado importante
O dermatologista alerta que, para o bom funcionamento dos cremes para celulite, eles devem fazer parte de um tratamento global, que inclui, por exemplo:

exercícios;
dieta balanceada;
hábitos saudáveis de vida;
drenagem linfática;
entre outros.
“Recomendamos o ultrassom de alta frequência para ser feito em paralelo ao uso dos cremes. Este tratamento produz efeitos térmicos e mecânicos, além de modelar o corpo, diminuir a gordura localizada, combater a flacidez e estimular o tônus muscular”, orienta o Dr. Dziabas.

Para este tratamento, explica o médico, são indicadas de 8 a 10 sessões, uma vez por semana e com duração de 30 a 40 minutos. Os resultados aparecem a partir da 4ª sessão. “É um tratamento indolor, por isso não há necessidade de anestesia”, explica o especialista.

A drenagem linfática, seja feita em casa ou em uma clínica especializada, também é uma grande parceira do creme para celulite. O tratamento melhora a circulação linfática e sanguínea, evitando as protuberâncias na pele, ou seja, os famosos furinhos.

Além disso, a drenagem suaviza o tecido fibroso, resultando na redução de inchaços, sulcos e no aspecto “casca de laranja”.

Cremes para celulite: como usar?
O ideal, explica o médico, é que o tratamento com o creme para celulite dure pelo menos dois meses. Neste período, ele indica o uso do cosmético duas vezes ao dia. “Sua aplicação deve ser feita em forma de massagem, pois os movimentos ativam a circulação”, explica.

A massagem feita com o creme adequado, além de facilitar a penetração dos ingredientes compostos no produto, favorece a quebra de gordura e alivia o inchaço.

“A dica é usar após o banho, quando os poros estão mais dilatados e a absorção das substâncias é maior. Também podem ser utilizados após a prática de atividade física, devido a alta circulação sanguínea”, sugere o expert.

5 tratamentos para rugas e linhas de expressão

TEMPO DE LEITURA: 2 MINUTOS

Quando somos jovens não damos muita importância aos cuidados que nossa pele necessita, não é mesmo? Mas depois dos 30 anos, a pele da mulher começa a mostrar os primeiros sinais de envelhecimento e o descuido anterior começa a nos mostrar a consequência. E só hidratação e o filtro solar já não são suficientes para garantir a firmeza e a vitalidade do rosto. Todas as nossas expressões faciais refletem-se nas rugas e linhas de expressão. Os primeiro sinais de envelhecimento da pele são rugas finas, manchinhas de sol e ressecamento causados pela diminuição da produção de colágeno e elastina, que causam redução da elasticidade e firmeza.

E você sabe a diferença entre rugas e linhas de expressão? As linhas de expressão são causadas pela movimentação da musculatura facial. Em uma pele jovem e com boa produção de colágeno e elastina, quando o movimento do músculo acaba a pele volta ao seu normal, sem deixar marcas. Já as rugas estáticas são linhas que permanecem na nossa pele, mesmo quando não estamos contraindo os músculos do rosto.

Existem 5 tratamento bem comuns para tratar e eliminar linhas de expressão:

Cuidado contínuo com a pele – uso de protetor solar, anti-oxidantes, cremes antirrugas (anti-aging), ácidos específicos para o rejuvenescimento, etc. Esses cuidados básicos devem acompanhar qualquer outro tipo de tratamento para a pele do rosto.
Aplicação de Botox (ou toxina botulínica) – atua impedindo a contração exagerada da musculatura, tornando-a mais suave. Esse procedimento diminui as linhas de expressão e também trata um pouco das rugas estáticas do rosto.

Leia também: Skin renov
Tratamento a Laser – traz ótimos resultados, principalmente por melhorar a flacidez e diminuir as rugas estáticas. Um dos tratamentos mais utilizados é o Laser de CO2 Fracionado.
Ginástica facial – Os músculos da face e do pescoço também precisam ser trabalhados e estimulados para atenuar rugas e linhas de expressão. É uma boa opção para evitar intervenções cirúrgicas ou comesticas.

Leia também: Creme para rugas bula

Aparelhos de infravermelho e radiofrequência – estimulam a fabricação do colágeno e amenizam a flacidez da pele. A vantagem é que a aplicação é indolor, não produz cortes, nem furos e sua duração é de até dois anos.
Existem alguns outros cuidados que devem entrar na sua lista de como prevenir as rugas: limpar, tonificar e hidratar a pele duas vezes ao dia, usar produtos a base de retinol, beber pelo menos oito copos de água por dia e ter uma alimentação equilibrada, rica em vegetais, frutas e nutrientes essenciais.